O professor da Escola Municipal Luiz Gonzaga da comunidade Santo Antônio do Rio Tracajá, Valter Pereira de Menezes conquistou mais um prêmio em sua carreira profissional, o quarto em menos de três anos.

Desta vez foi na 9ª Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O resultado foi publicado na segunda-feira, Dia do Professor, no site instituição.

Valter Pereira de Menezes concorreu com o projeto de ciências, do ensino fundamental pela Região Norte intitulado “Eco-clean: práticas saudáveis para se ter água limpa”.

O professor concorreu com mais de 1.200 trabalhos inscritos e ficou entre os 35 projetos classificados. A apresentação e premiação ocorrem no mês de novembro no Rio de Janeiro, entre os dias 26 e 30 na cidade carioca.

Valter Pereira diz que “é uma alegria muito grande por mais uma vez poder representar o estado do Amazonas e o município de Parintins”.

Valter Pereira de Menezes faz um desabafo diante da falta de valorização profissional e ao mesmo tempo estimula os colegas de profissão a continuarem apostando na classe que tem papel fundamental para a formação de gerações:

“Se nós professores não acreditarmos em nosso trabalho, em quem vamos acreditar? Algumas pessoas só querem massacrar os professores. Nós devemos acreditar em nós mesmos e fazer a diferença.”

Valter Pereira de Menezes também já foi agraciado com os outros prêmios, entre eles, o prêmio “Professores do Brasil”, com o projeto “Água limpa para os curumins do Tracajá, prática sustentável para se ter água limpa”.

O professor parintinense também foi o primeiro amazonense da história a ser indicado ao Global Teacher Prize, considerado o Prêmio Nobel da Educação e que reconhece as mais inovadoras práticas educadoras ao redor do planeta. Valter ficou entre os cinqüenta melhores professores do mundo.

Outro prêmio na carreira de Valter Pereira de Menezes foi o de “Professor nota 10”, conquistado no primeiro semestre de 2018.

A 9ª Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) está sendo uma edição especial para toda a equipe olímpica: primeiro porque foi quebrado os recordes de inscrições, e agora, pôde ser compartilhado os resultados no Dia dos Professores.

A 9ª Obsma teve a participação de 4.300 professores responsáveis por 1.228 trabalhos realizados em centenas de escolas do país. Cada um dos projetos buscou os melhores resultados práticos dentro e fora das salas de aula, com grande impacto na vida das crianças, dos jovens e das comunidades envolvidas.

A participação dos professores é fundamental para a promoção da saúde, da sustentabilidade e também da redução das desigualdades e mobilização dos estudantes em direção ao protagonismo enquanto cidadãos.

Red.: Neudson Corrêa