Alvorada Parintins

4,5 mil cestas básicas são entregues as famílias da etnia Sateré-Mawé do município de Barreirinha

A ação é uma parceria entre Funai e prefeitura que beneficiou aproximadamente 2,1 mil famílias na região do Andirá-Marau, isoladas por conta da Covid-19

A reserva indígena do Andirá-Marau, estava há mais de noventa dias, sob isolamento social permanente. Medida adotada para evitar que essa população indígena da região do município de Barreirinha fosse contaminada pelo novo coronavírus. Ação que vem dando certo, pois até o momento, nenhum caso foi registrado desde o início da pandemia em março. Nesse sentido, pensando em combater o desabastecimento alimentar dessas comunidades indígenas localizadas no rio Andirá, a Prefeitura de Barreirinha em parceria com a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), realizaram entre os dias 1 e 7 de julho, a distribuição de mais de 4,5 (quatro mil) unidades de cestas básicas, que foram destinadas a cerca de 80 aldeias da etnia Sateré-Mawé.

A entrega seguiu todos os procedimentos e protocolos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Dois profissionais da Fundação de Vigilância em Saúde, executaram a desinfecção com pulverizador Stihl SR 420, como medida preventiva contra possíveis seres biológicos alojados nas embalagens, que ao serem tocados poderiam atentar contra a saúde dos indígenas. Vale ressaltar que os casos de Covid-19 em Barreirinha têm aumentado constantemente nos últimos dias e já ultrapassaram mais de 500 (quinhentas) confirmações positivas em quase 15 dias.

A justificativa para levar as cestas básicas até os Sateré-Mawés, tem como base todos os dados avaliadas pela equipe de saúde municipal, e assim evita que os indígenas sejam infectados em áreas urbanas, com possuem alto índice de contaminação, o que levaria a uma disseminação proporcional do vírus nas demais aldeias. A Prefeitura de Barreirinha, tem posto a frente de todas as suas ações, a preocupação com a vida dos povos tradicionais, que antes da pandemia sempre enfrentavam grandes distancias para acessar políticas socioassistenciais e serviços de bem comum. Logo a partir da parceria com as entidades governamentais envolvidas e sem fins lucrativos, a prefeitura possibilita que a população ribeirinha e indígena receba atenção especial neste momento delicado.

Participaram do processo de entrega dos alimentos, as equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), Secretaria Municipal de Saúde e o Departamento de Assistência ao Índio (DAI), que juntamente com a Fundação Nacional do índio (Funai) executaram a distribuição dos donativos. De acordo com o coordenador da Funai no Baixo Amazonas, Sérgio Butel, a parceria da administração municipal, é de suma importância neste momento de solidariedade para com o próximo, ato que seria impossível, fazer chegar os benefícios a população Mawé. “Uma logística para realizar a entrega de mais de cem toneladas de alimentos exige bastante esforço conjunto e nesse sentido nós contamos com o apoio da Prefeitura de Barreirinha. Nós percebemos o quanto o povo Sateré fica satisfeito em receber essa atenção e esse apoio por parte do poder público”, afirmou.

Na ação cada chefe de família recebeu duas cestas básicas, que somadas chegavam a 22 quilos de alimentos. O líder indígena Juca Miquiles, da comunidade Vila Nova, considerada a maior aldeia indígena do alto andirá, não escondeu a felicidade ao ver as mais de cem famílias da aldeia reunidas para receber a ajuda humanitária. “Com esse distanciamento social e a população não podendo sair, chegar um benefício como esse é tão louvável, pois, quando chegaram essas cestas básicas na comunidade o povo ficou muito feliz”, destacou o tuxaua.

JORNALISMO AO VIVO VERTICAL
você pode gostar também