Alvorada Parintins

Amazonas registra mais de 100 mil casos confirmados do novo coronavírus; mortes chegam a 3.252

Nesta quinta-feira (30), foram confirmados 1.047 novos casos de Covid-19 e 6 mortes. Estado registra queda dos números, depois de figurar entre piores cenários do País.

O Amazonas ultrapassou a marca de 100 mil casos confirmados do novo coronavírus, nesta quinta-feira (30). O primeiro caso da doença foi confirmado no dia 13 de março e, desde lá, a rápida disseminação do vírus colocou o Estado entre os piores cenários do País, com colapso no sistema público de saúde e no sistema funerário.

Nesta quinta-feira (30), com 1.047 novos casos, o total de infectados pela Covid-19 no Amazonas chegou a 100.140, segundo boletim epidemiológico divulgado pelo Governo do Amazonas. Mais 6 óbitos também confirmados, elevando para 3.252 o total de mortes pela doença.

Após o pico da doença entre abril e maio, os números da Covid-19 começaram a diminuir no mês de junho e seguem com essa tendência. A taxa de internação pela doença diminuiu, assim como o número de mortes. Desde o dia 1º de junho, o governo do Estado vem flexibilizando a quarentena, com reabertura do comércio, de escolas e de atividades de cultura e lazer.

Conforme o boletim epidemiológico desta quinta, 84.866 pessoas já se recuperaram da Covid-19 no estado e outras 12.022 seguem internadas ou em isolamento domiciliar. Até esta quarta-feira (29), segundo dados do governo, 226.733 testes para Covid-19 haviam sido realizados, entre rápidos e moleculares (RT-PCR).

Entre os casos confirmados, há 254 pacientes internados, sendo 166 em leitos clínicos (11 na rede privada e 155 na rede pública) e 88 em UTI (18 na rede privada e 70 na rede pública). Há ainda outros 87 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 61 estão em leitos clínicos (19 na rede privada e 42 na rede pública) e 26 estão em UTI (19 na rede privada e 7 na rede pública).

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), na quarta (29), a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid era de 73%. Em relação aos leitos clínicos Covid, a taxa de ocupação estava em 55% nesta quarta. O governo informou que o aumento na taxa de ocupação de leitos Covid é reflexo do reordenamento da rede da Susam.

Com a queda das internações no atual cenário da pandemia do novo coronavírus, confome o governo estadual, os leitos destinados a pacientes com Covid-19, nas unidades de porta aberta, estão gradativamente retornando aos atendimentos de pacientes com outras enfermidades.

Covid-19 por municípios

JORNALISMO AO VIVO VERTICAL
você pode gostar também