Um grupo de aproximadamente 20 famílias que sobrevivem de catar lixo no aterro controlado decidiu fixar residências ao lado da lixeira publica de Parintins.

O local escolhido pelas famílias está comprometido, devido fazer parte do terreno que antes também funcionava como lixão. É visível as péssimas condições do terreno, a poeira e o forte odor que exala da lixeira impossibilitar de pessoas morarem naquele local.

O catador de lixo Elias Azevedo disse que foi para o local porque não tem alternativa. Elias disse ainda que morava com os pais, mas no entanto, ele precisa ter o que é dele, constituir uma família e lá ao lado do lixeiro foi o lugar ideal para ele e demais trabalhadores formais que sobrevivem catando lixo.

Se a ideia se concretizar, será mais uma invasão a se instalar em Parintins.

Red: Cleimer Carneiro