Alvorada Parintins

Confusão encerra partida entre São Paulo e Nacional no intervalo

A primeira partida desta noite de quinta-feira (17) do Parintinzão 2019, entre São Paulo do Paulo Corrêa e Nacional, foi encerrada no intervalo após expulsões e confusão, no Estádio Tupy Cantanhede.

A partida corria tranquilamente. Aos 17 minutos do primeiro tempo, o jogador Maurício Pimentel, da equipe do São Paulo, marcou o primeiro e único gol da partida.
Aos 48 minutos do primeiro tempo, nos acréscimos, o jogador Fabrício Ramos tocou na bola com as mãos, levou o segundo cartão na partida e foi expulso pelo árbitro Givanildo Gama.

Ao encerrar o primeiro tempo, jogadores e o técnico do Nacional correram para cima do árbitro, que rebateu as reclamações. A confusão se agravou após Gilvanildo expulsar o técnico Everaldo, do Nacional.
No túmulo, um guarda municipal, identificado como Enéas Pacheco, foi agredido e teve um ferimento na boca. A polícia militar entrou em campo e levou o técnico do Nacional para a viatura.

Árbitro da partida, Givanildo Gama | Foto: Liam Cavalcante

Depois de alguns minutos, os polícias militares voltaram ao campo e pediram para o árbitro ir até a delegacia, registrar o Boletim de Ocorrência. Givanildo atendeu o pedido e então encerrou a partida, gerando mais confusão e tumulto.

Segundo o presidente da Associação da Liga Esportiva de Parintins (Alepin), Cleandro Fontineli, o caso foi isolado e ocasionado por uma única pessoa, o técnico Everaldinho. “A culpa não é de São Paulo e nem do Nacional. A confusão foi do técnico do Nacional que surtou”, comentou.

A partida foi suspensa e deve continuar em outro data, a partir de onde parou, o segundo tempo, e com o São Paulo na frente, com um gol.

Uma hora após a confusão, a segunda partida da noite, entre Botafogo e América continuou com segurança reforçada.

Red.: Liam Cavalcante
você pode gostar também