Alvorada Parintins

Corpo da missionária leiga Geralda Ferreira será sepultado em Parintins

A família da missionária leiga Geralda Ferreira Souza, que morreu na segunda-feira, 26, em Manaus, de complicações decorrentes da Covid-19, permitiu que seu corpo fosse sepultado em Parintins. A informação foi repassada pelo bispo dom Giuliano Frigeni.

A princípio a família havia manifestado o desejo de realizar o sepultamento em sua terra natal, mas, reconhecendo o importante trabalho desempenhado em Parintins, inclusive, no serviço à pastoral, e constituído um grande círculo de amizade, aceitou que o corpo de dona Geralda e as lembranças fossem mantidas na cidade que a recebeu com muito carinho há 14 anos.

O corpo deve chegar à cidade amanhã, sexta-feira, pela manhã, e será sepultado na capela da ressurreição, no cemitério São José, onde também estão os restos mortais de tantos outros missionários que trabalharam na Diocese de Parintins.

Dom Giuliano informa que o velório acontecerá no chapéu de palha da Paróquia da Catedral Nossa Senhora do Carmo.

Natural do povoado de Visgueiro, zona rural do Município de Muribeca, distante 81,5 quilômetros da capital Aracaju, Sergipe, dona Geralda, como era conhecida pelo clero local, chegou a Parintins em 2007.

JORNALISMO AO VIVO VERTICAL
você pode gostar também