Alvorada Parintins

Covid-19: Júnior de Souza, artista plástico do Garantido, morre no Paraná

Ele estava internado em um hospital de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, desde o dia 1º de fevereiro.

O artista plástico e membro da comissão de artes do Boi Bumbá Garantido Júnior de Souza, morreu nesta segunda-feira (1°), após trinta e um dias internado com Covid-19 no Hospital do Rocio, em Campo Largo, Região Metropolitana de Curitiba. Ele deu entrada no Hospital Jofre Cohen, em Parintins, no dia 20 de janeiro e foi removido para o Paraná com mais 12 pacientes no final de janeiro.

Na última sexta-feira (26), o Garantido chegou a emitir uma nota de solidariedade em apoio à recuperação do artista, mas o quadro dele se agravou nesta segunda-feira e ele veio a óbito. A morte foi anunciada pelo filho dele, Pablo de Souza, nas redes sociais.

Conhecido como ‘O Considerado’, Júnior de Souza começou no Garantido em 1985 e foi ganhando espaço nos anos seguintes. De 1995 a 2014, ele foi artista de alegoria e se notabilizou pela concepção de grandiosos rituais, o que fez com que ele ganhasse a alcunha de ‘Mestre dos Rituais’. Em 2015, ele foi para o Caprichoso, onde permaneceu por quatro festivais. Ele voltou ao Garantido depois do festival de 2018 e em 2020 tentou ser presidente do ‘Boi do Povão’, mas foi derrotado por Antônio Andrade.

A morte de Júnior de Souza é mais uma para o rol de duras perdas sofridas pelos bois de Parintins no último ano. Entre os principais nomes falecidos neste período, estão Klinger Araújo, Paulinho Faria, Emerson Maia, Irlani Lima, Rafael Marupiara, Roci Mendonça, Mário Cid, Francisca Pires, a Dona Chica, e tantos e tantos outros e outras que ajudam a construir o maior Festival Folclórico deste País.

*Com informações de Portal A Crítica

JORNALISMO AO VIVO VERTICAL
você pode gostar também