Business is booming.

Estudante de 14 anos acusa mototaxista de tentativa de estupro

Um adolescente de 14 anos de idade foi vítima de tentativa de estupro na tarde da última terça-feira, dia 20. O caso ocorreu quando o garoto retornava da escola. A principal suspeita de cometer o ato é um mototaxista ainda não identificado.

Segundo apurou o site Parintins Press, era por volta das 17h30min quando o adolescente que estuda em uma escola estadual do bairro Santa Clara, foi abordado por um mototaxista no centro de Parintins. 

Segundo a mãe da vítima, o mototaxista perguntou para onde ele iria, e o estudante afirmou não ter dinheiro para pagar a corrida. O mototaxista insistiu e ofereceu a carona. Em seguida, o jovem subiu na moto pensando estar à caminho de sua casa, que fica no bairro Itaúna II, mas logo percebeu que o trajeto não o levaria a sua casa.

Segundo a mãe do estudante, ao passar pela frente da Cidade Garantido, na Odolvado Novo, o mototaxista disse que estava com vontade de urinar, e perguntou ao jovem onde ele poderia fazer, e o jovem disse não saber. Logo após, o homem perguntou se ele queria dar uma volta, e o estudante recusou o convite.

Em seguida, o mototaxista seguiu na Rodovia Odolvado Novo e levou a vítima até uma estrada no meio do mato, próximo ao Aeroporto Júlio Belém. Chegando no local, o mototaxista parou a moto e foi urinar. Após um tempo, com a calça arriada, o homem foi até o menor de idade e disse não estar conseguindo mijar.

O estudante pediu para ir embora e o homem, nu, disse que não e mandou a vítima pegar em suas partes íntimas. O jovem insistiu querer sair dali e pediu para o mototaxista deixá-lo em sua casa.

“Ele ficou um tempo se mostrando para o meu filho, que pedia para ir embora pois tinha horário pra chegar em casa. Ele (mototaxista) ficou um tempo pensando e resolveu trazer meu filho para a cidade, e o deixou perto de casa”, detalhou a mãe da vítima.

O caso foi registrado na 3ª Delegacia interativa de Polícia. A vítima, nervosa, não conseguiu decorar o nome e o número de registro do mototáxi, mas garante que o reconhece se vê-lo outra vez.

Red.: Marcos Felipe | *Com informações de Parintins Press
você pode gostar também