Alvorada Parintins

Menina assediada em Parintins pede ajuda da polícia por carta

Na carta, a menina relata que estava online em sua página na rede social (Instagram), quando um seguidor passou a enviar mensagem para ela

Por meio de uma carta, uma menina de 10 anos pediu ajuda à Polícia Militar (PM) após ser assediada sexualmente por meio de uma rede social. De acordo com a PM, ela fez a entrega do documento ao coordenador do Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência (Proerd) do 11° Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus).

A PM informou que a carta foi entregue ao coordenador, sargento Gildo Assis, na última terça-feira, 22/10. A menina é aluna de uma escola pública de Parintins. No documento, a criança informa que o assedio foi praticado por um seguidor que afirma não conhecer.

Na carta, a menina relata que estava online em sua página na rede social (Instagram), quando um seguidor passou a enviar mensagem para ela.  O conteúdo, conforme consta no documento, a deixou constrangida e afirma estar com “insegura de estar perto de garotos”.

Procedimentos

O Sargento PM Gildo Assis, informou que recebeu a carta, na última terça-feira, durante as atividades do Proerd, na escola onde a menor estuda. Após ter recebido o documento, comunicou ao comando, que orientou aa necessidade de se reunir a coordenação pedagógica da escola onde a menina estuda junto com os familiares da criança.

O comandante do 11° BPM, tenente-coronel Corrêa Júnior emitiu alerta aos pais e responsáveis quanto ao uso das mídias sociais por crianças, principalmente em razão dos riscos que elas estão expostas quando utilizam as ferramentas sem o conhecimento ou supervisão dos pais.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Civil (PC) em Parintins. De acordo com a PC, a denúncia ainda não foi encaminhada de forma oficial a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente para que o caso comesse a ser investigado.

Por Toda Hora | Carla Albuquerque

 

você pode gostar também