Alvorada Parintins

Movimentos sociais do Amazonas repudiam título de cidadão ao presidente Bolsonaro

Mais de 30 movimentos sociais do Amazonas, incluindo a frente a Frente Brasil Popular, Movimento de Mulheres Solidárias do Amazonas, Rede Nacional de Mulheres no Combate à Violência, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Movimento Unificado do Servidores Públicos do Amazonas (MUSP), entre outros manifestaram total repúdio à iniciativa dos deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas ao conceder ao presidente Bolsonaro, o título de cidadão amazonense.

Os movimentos esclarecem em nota que o Brasil todo acompanhou a tragédia vivenciada pelos amazonenses, sem oxigênio, sem UTI, sendo tratados com remédios sem eficácia cientifica, sofrendo com o descaso do governo federal e provocando uma tragédia que poderia ter sido evitada.

Segundo os movimentos ao “conceder esse título é uma afronta à sociedade amazonense, é desconsiderar o sofrimento de mais de doze mil famílias do Amazonas e de trezentas e setenta e duas mil famílias no Brasil todo”.

Para o professor Eliseu Sousa, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e idealizador do projeto “Política eu me importo e participo”, a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) se faz distante da população amazonense ao conceder o título de cidadão amazonense ao presidente Bolsonaro e a sociedade amazonense não merece passar essa vergonha.

“A Aleam esquece que o presidente atacou, por diversas vezes, a Zona Franca de Manaus, incentivou e promoveu aglomeração, desrespeitou as orientações de prevenção a saúde pública, fez desdém ao uso de máscaras, promoveu o armamento dos civis, atacou o SUS (Sistem Único da Saúde), destroi o meio ambiente, enfranquece a escola pública, dentre tantos outros desrespeito”, pontou o professor.

E afirmou que “a sociedade amazonense não merecia, e não merece, passar por essa vergonha vergonha.”

O Projeto de Lei (PL) é de autoria do deputado estadual Delegado Péricles (PSL) que concede o título de cidadão amazonense ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). O PL foi aprovado pela Aleam na manhã dessa terça-feira (21). Apenas o deputado Serafim Correa (PSB) votou contra.

Íntegra

Nota de Repúdio

Nós dos Movimentos Sociais do Amazonas, vimos à público manifestar nosso total repúdio à iniciativa dos Deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas (Dep. Abdala Fraxe, Dep. Álvaro Campelo, Dep. Cabo Maciel, Dep. Delegado Pericles, Dep. Dra. Mayara Pinheiro, Dep. Fausto Júnior, Dep. João Luiz, Dep. Ricardo Nicolau, Dep. Saullo Viana, Dep. Therezinha Ruiz, Dep. Wilker Barreto, Dep. Adjunto Afonso, Dep. Berlamino Lins, Dep. Carlinhos Bessa, Dep. Dr. Gomes, Dep. Felipe Souza, Dep. Nejmi Aziz, Dep. Roberto Cidade, Dep. Tony Medeiros) de concederem ao Presidente Bolsonaro, o título de cidadão amazonense. O Brasil todo acompanhou a tragédia vivenciada pelos amazonenses, sem oxigênio, sem UTI, sendo tratados com remédios sem eficácia científica, sofrendo com o descaso do governo federal e provocando uma tragédia que poderia ter sido evitada.

Conceder esse título é uma afronta à sociedade amazonense, é desconsiderar o sofrimento de mais de doze mil famílias do Amazonas e de trezentas e setenta e duas mil famílias no Brasil todo”.

Assinam a nota:

– Frente Brasil Popular-FBP

– Frente Povo Sem Medo

– FETRAF-AM

– Movimento Nacional de Luta Pela Moradia- MNLM-AM

– Coletivo na Luta Ruas e Redes-PT

– MAB-AM

– GT Estudos de Gênero do Amazonas/ANPUH

– Partido dos Trabalhadores-PT

– Partido Comunista do Brasil-PCdoB

– Partido Socialismo e Liberdade-PSOL

– Movimento de Mulheres Solidárias do Amazonas.

– Fórum Amazonense de Saúde Mental.

– Coletivo Para Todos

– ADUA- Seção Sindical Amazonas

– União da Juventude Socialista-UJS

– JART-AM

– Núcleo do PT de Petropolis

– Movimento Tucumã-TM

– Ver. Sassá da Construção Civil

– JAE Amazonas

– Intersindical

– Kizomba-AM

– União Brasileira dos Estudantes Secundaristas-UBES

– União Nacional dos Estudantes-UNE

– Associação Nacional de Pós Graduandos-ANPG

– Movimento Unificado do Servidores Públicos do Amazonas-MUSP

– Fórum Permanente das Mulheres de Manaus

– Movimento de Mulheres Negras da Floresta-Dandara

– Espaço Feminista Uri Hi

– Rede Nacional de Mulheres no Combate a Violência

– Coletivo Mulheres da Educação

– Patrícia Gil Cabral

– Gleice Oliveira, historiadora e professora.

– Xwɛgbɛ́ Acɛ́ Mina Gɛgi Vodún Xɛ́byosɔ Toy Gbadɛ́

– Associação de Desenvolvimento Sócio Cultural Toy Badé

– Articulação Amazônica dos Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiro de Matriz Africana – ARATRAMA

– Ponto de Cultura Tambor de Mina: História, Memória e Tradição

– Instituto Cultural Mawu Lissá

– Marcelo Lopes, líder do Movimento Amazonas Pela Democracia

– João Tayah, Movimento Policiais pela Democracia

JORNALISMO AO VIVO VERTICAL
você pode gostar também