Alvorada Parintins

Paróquia da Catedral inicia Assembleia de Pastoral para traçar ações evangelizadoras

Ao final da Assembleia, as propostas serão analisadas e colocadas em uma lista de prioridades.

 

Em comunhão com as discussões do Documento 109 da CNBB, que aponta as Diretrizes para a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE),  a paróquia de Nossa Senhora do Carmo iniciou nesta sexta-feira (24), a Assembleia Paroquial de Pastoral, para o direcionamento das ações pastorais dos próximos quatro anos (2020/2023). O encontro começou com a celebração da Santa Missa na Catedral, e tem continuidade no Centro Pastoral Mãe de Deus, até o próximo domingo (26).

Nesta edição, o tema a ser discutido é “Catedral, casa alicerçada na pessoa de Jesus, a partir de uma espiritualidade sinodal”, e o lema “Impulsionados pelo Espírito Santo sob o amparo da Virgem do Carmo queremos ser uma igreja apostólica e profética, testemunhando o reino de Deus”. Todas as pastorais e comunidades, da zona urbana e rural, participam das discussões com seus respectivos coordenadores.

De acordo com o pároco da Catedral, padre Dorival Nascimento, o encontro busca dialogar com os apontamentos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e ainda com os temas abordados na última Assembleia Diocesana de Pastoral, realizada no fim do ano passado, em Parintins.

“A partir dessas discussões, buscaremos elaborar nosso plano paroquial, ouvindo e analisando as diferentes realidades de nossas pastorais e comunidades, e no final do encontro traçaremos ações executáveis que atendam as demandas dos paroquianos e o que pede a Santa Igreja Católica”, comentou.

Ao final da Assembleia, as propostas serão analisadas e colocadas em uma lista de prioridades, de acordo com a necessidade de cada seguimento da paróquia.

Documento 109 da CNBB

As Diretrizes para a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) constituem uma das expressões mais significativas da colegialidade e da missionariedade da Igreja no Brasil. Para o quadriênio 2019-2023, elas foram estruturadas a partir da concepção da Igreja como “Comunidade Eclesial Missionária”, apresentada com a imagem da “casa”, “construção de Deus” (1Cor 3,9). A ideia de casa, entendida como “lar” para os seus habitantes, acentua as perspectivas pessoal, comunitária e social da evangelização, inserindo, no espírito da Laudato Si’, a perspectiva ambiental. Essa casa é a comunidade eclesial missionária que, por sua vez, é sustentada por quatro pilares: Palavra, Pão, Caridade e Ação Missionária. Em tudo isso, as Diretrizes – aprovadas por nossos bispos – convidam todas as comunidades de fé a abraçarem e vivenciarem a missão como escola de santidade.

Rede.: Marcos Felipe | Com informações da CNBB
você pode gostar também