Alvorada Parintins

Projeto “Água limpa para os curumins do Tracajá” na final do Prêmio da Agência Nacional de Águas

Os vencedores das oito categorias em disputa ganharão o exclusivo Troféu Prêmio ANA.

Em cerimônia transmitida pelo YouTube nesta quarta-feira, dia 02 de dezembro, a Agência Nacional De Águas e Saneamento Básico (ANA) anunciou os nomes dos 24 projetos finalistas do Prêmio ANA 2020. São três finalistas, em cada uma das oito categorias do prêmio, que agora disputam o troféu de vencedores do concurso. Na lista de finalista está o projeto “Água limpa para os curumins do Tracajá”, da Escola Municipal Luiz Gonzaga, na zona rural de Parintins – na Categoria Educação. 

O Prêmio ANA 2020 já fez história com o recorde de 695 inscrições de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal, mesmo num contexto de pandemia. O total supera a marca anterior registrada na Prêmio ANA 2017, quando 607 boas práticas participaram

Os vencedores das oito categorias em disputa ganharão o exclusivo Troféu Prêmio ANA. Uma novidade é que os três finalistas de cada categoria poderão utilizar em seus materiais de divulgação o “Selo Prêmio ANA: Finalista” ou o “Selo Prêmio ANA Vencedor”, conforme o resultado do concurso.

O coordenador do projeto “Água limpa para os curumins do Tracajá”, professor Valter Menezes se diz honrado pela indicação ao Prêmio Ana 2020 e de poder representar Parintins.  “Ficar em os três finalistas na categoria educação é uma honra muito grande. E representar a educação de Parintins, a educação do campo, a nível de Brasil, para mim, é uma alegria muito grande poder participar.”

Valter Pereira Menezes é formado em em Ciência e especializado em Metodologia do Ensino da Biologia. Atua na Escola Municipal Luiz Gonzaga, na comunidade rural Santo Antônio do Tracajá. Em 2015, com o projeto “Águas limpa para os curumins do Tracajá” venceu o prêmio Educador Nota 10 que reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. Em 2017  foi finalista do  Prêmio Global Teacher Prize, considerado o “Nobel da Educação”.

Confira os 24 finalistas do prêmio (dispostas em ordem alfabéticas em cada categoria):

CATEGORIA EDUCAÇÃO

  • ÁGUA LIMPA PARA OS CURUMINS DO TRACAJÁ (Valter Pereira de Menezes, da Escola Municipal Luiz Gonzaga, no Amazonas)
  • APROVEITAMENTO DA ÁGUA DOS ARES CONDICIONADOS DE UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO TÉCNICO E SUPERIOR (Mateus dos Santos Correia, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí)
  • SOLUÇÕES BASEADAS NA NATUREZA E TECNOLOGIAS SOCIAIS EM SANEAMENTO RURAL: PARCERIA COM AGRICULTORES FAMILIARES E COMUNIDADES QUILOMBOLAS (Artur Moises Gonçalves Lourenço, do Instituto Federal da Paraíba)

CATEGORIA COMUNICAÇÃO

  • DOCUMENTÁRIO – DESSALINIZADA, ÁGUA DO MAR PODE EQUILIBRAR ABASTECIMENTO (Jusciane Matos de Lima, da TV Justiça)
  • GUERRA DA ÁGUA (Patrik Camporez, do jornal O Estado de S. Paulo)
  • VIDAS SECAS NO PAÍS DAS ÁGUAS – SÉRIE DE REPORTAGENS (Luiz Claudio Ferreira, da Empresa Brasil de Comunicação – EBC)

CATEGORIA EMPRESAS DE MÉDIO E DE GRANDE PORTE

  • GERENCIAMENTO DO USO DE ÁGUA NOS PROCESSOS AUTOMOTIVOS (General Motors do Brasil, representada por Thaís Barreto)
  • GESTÃO DE ÁGUA 360º DA WHIRLPOOL LATIN AMERICA (Whirlpool, representada por Cristiano Felix)
  • INOVAÇÃO NA GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PARA O SANEAMENTO ATRAVÉS DO CENTRO DE CONTROLE DOS MANANCIAIS METROPOLITANOS (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – SABESP, representada por Mara Regina Ramos)

CATEGORIA EMPRESAS DE MICRO OU DE PEQUENO PORTE

  • AQUALUZ: TRATAMENTO DE ÁGUA COM A LUZ DO SOL (Safe Drinking Water For All – SDW, representada por Anna Luísa Beserra Santos)
  • EKO SISTEMA DE TRATAMENTO E REÚSO DE ÁGUA (Eko Sistema, representada por Gustavo Almeida Furtado)
  • RECICLAGEM A SECO DE EMBALAGENS PLÁSTICAS CONTAMINADA (Eco Panplas, representada por Felipe Cardoso)

CATEGORIA ENTES DO SINGREH

  • CAMPANHA EM DEFESA DO RIO SÃO FRANCISCO (Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco através de sua Entidade Delegatária Agência Peixe Vivo, representado por Anivaldo Miranda Pinto)
  • SISTEMA DE ALERTA PARA DETECÇÃO DIÁRIA DE USO IRREGULAR DE RECURSOS HÍDRICOS (Companhia de Gestão de Recursos Hídricos do Ceará – COGERH, representada por João Silvio Dantas de Morais)
  • 8º FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA – A COMUNICAÇÃO COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO E INTEGRAÇÃO PARA GESTÃO E USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANAPANEMA (Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema, representado por Suraya Damas de Oliveira Modaelli)

CATEGORIA GOVERNO

  • IMPLEMENTAÇÃO DE TECNOLOGIAS SOCIAIS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM COMUNIDADES DO ALTO PANTANAL MATO-GROSSENSE (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, representado por Samir Curi)
  • PROGRAMA NASCENTES (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente de São Paulo, representada por Helena de Queiroz Carrascosa)
  • TRANSFORMAÇÃO DO SANEAMENTO DE CURITIBA ATRAVÉS DO PLANO DE DESPOLUIÇÃO HÍDRICA E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DOS RIOS – UM LEGADO PARA AS FUTURAS GERAÇÕES (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba – IPPUC, representado por Marlise Teresa Jorge)

CATEGORIA ORGANIZAÇÕES CIVIS

  • CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA PARA A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SAUDÁVEIS (Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS, representado por José Dias Campos)
  • IDENTIFICAÇÃO, PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DE NASCENTES NA REGIÃO OESTE DA BAHIA (Associação Baiana dos Produtores do Algodão – ABAPA, representada por Lidervan Mota Morais)
  • PLANTANDO ÁGUAS (Iniciativa Verde, representada por Roberto Ulisses Resende)

CATEGORIA PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

  • BIOECONOMIA: BIORREFINARIA DE MICROALGAS PARA TRATAMENTO DE RIOS URBANOS E EFLUENTES (Isadora Machado Marques, da Universidade Federal da Bahia)
  • DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ALERTA PRECOCE DA SECA E ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE PLANEJAMENTO PROATIVO DE ADAPTAÇÃO ÀS SECAS URBANAS (Luiz Martins de Araújo Júnior, da Universidade Federal do Ceará)
  • GESTÃO DE ALTO NÍVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS (Felipe de Azevedo Marques, da Fundação Universidade Federal do Tocantins)
você pode gostar também