Alvorada Parintins

Queimadas urbanas se tornam mais frequentes em Parintins

Segundo a Sedema, o número de denúncias por queimadas aumentou significativamente neste período de pandemia.

Especialistas afirmam que os meses de agosto, setembro e outubro são considerados os mais propícios para a atividade ilegal de queimadas.

A queimada é crime previsto na lei dos crimes ambientais, a lei que disciplina as queimadas urbanas é a 9.605/98.

Em Parintins, a Portaria Municipal de 2010, que determina que no período de julho a novembro é proibido queimadas, continua sendo desrespeitada.

Por ser o período mais quente do ano, as queimadas podem ocasionar diversos problemas de ordem ambiental e saúde, afetando as pessoas mais vulneráveis, como idosos e gestantes.

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (SEDEMA), o extremo verão tem sobrecarregado o número de denúncias e lotado postos de saúde com cidadãos com problemas respiratórios.

O secretário municipal de meio ambiente, Alzenilson Aquino, lembra que embora nesse período a população ainda esteja vivenciando a pandemia da Covid-19, as pessoas precisam continuar atentas a essa problemática.

“As pessoas por conta da quarentena ficaram em casa e começaram a limpar e queimar lixo nos seus quintais, e com isso nós tenos alguns problemas. As queimadas são proibidas por lei. apesar disso, a secretaria tem recebido muitas denúncias com relaçõa as queimadas. É preciso lembrar que o coronavírus afeta os pulmões e nesse sentido, as queimadas se tornam ainda mais prejudiciais, principalmente para as pessoas de grupos de risco, como idiosos e crianças.”, enfatizou o secratário.

Revisão: Rafaela Soares
JORNALISMO AO VIVO VERTICAL
você pode gostar também