Red: Cleimer Carneiro

O rio amazonas continua subindo em ritmo assustador. Até mesmo para os mais experientes que costumam acompanhar por longas datas a subida e descida do rio, essa enchente está diferente das demais.

“Essa enchente não é normal se continuar como está teremos uma das maiores de todos os tempos” alerta o vendedor ambulante Calos Pereira que atua na orla do bairro da união.

O carpinteiro Raimundo Silva trabalha na área da francesa há mais de 30 anos e vê com preocupação esse volume de água que a cada dia avança.

“Nunca vi enchente como essa” no inicio de janeiro já invadiu os braços da lagoa disse Raimundo.

Um comparativo foi enviado a redação do Jornal da Alvorada pela Defesa Civil do Amazonas, no dia 02 de janeiro de 2009, quando houve uma das maiores enchentes, a marca da régua pluviométrica apontava 3.88 m. Em comparação ao mesmo período, em 2019 o rio está 4.31 m, ou seja,  uma diferença de 43 cm.

A Defesa Civil do Amazonas apresentou também a comparação de 2018 para 2019 no mesmo período. No dia 02 de janeiro do ano passado a régua Pluviométrica marcou 2.76 m. No mesmo período dia 02 de janeiro de 2019 a régua Pluviométrica marcou 4.31 m, uma diferença em relação ao ano passado de 1.55 m.