Servidores da Secretaria de Obras, do setor de limpeza pública, decidiram paralisar as atividades sob a alegação de que não recebem seus vencimentos há quase um mês. Por causa disso a coleta de lixo domiciliar foi interrompida há três dias.

Em quase toda a cidade, sacolas com os resíduos ficaram expostas nas calçadas, dependuradas nos galhos de árvores ou em frente às casas e também nos próprios muros das residências.

Os moradores não quiseram gravar entrevista, mas informalmente dizem que os carros coletores deixaram de cumprir as rotas diárias recolhendo as sacolas com o lixo desde quarta-feira passada.

Mas a coleta não deixou de ser feita, porém a Secretaria de Obras, setor de limpeza pública, resolveu manter equipes com um número reduzido de pessoas trabalhando.

Os servidores públicos, que pedem para não ter o nome citado na reportagem, afirmam que a empresa contratada para fazer a coleta do lixo domiciliar em Parintins não recebe o dinheiro do contrato há pelo menos 15 meses.

Outra situação apontada pelos funcionários diz respeito a utilização dos carros coletores. Segundo a fonte, a Prefeitura de Parintins está colocando em via pública caçambas para fazer a coleta, porém com esse tipo veículo aumentam os riscos de acidentes com os trabalhadores.

No caso das caçambas, elas têm que funcionar com o auxílio de pá mecânica para depositar o lixo na carroceria dos veículos. Além do mais, as caçambas oferecem risco para condutores de motocicletas em Parintins.

A reportagem tentou contato por telefone com o secretário de Obras, Mateus Assayag, porém as chamadas eram enviadas para a caixa de mensagens.

Red.: Neudson Corrêa